UM NOVO MUNDO EM MARCHA

Recentemente o documentário  Francês Amanhã – Um Novo Mundo em Marcha, dirigido por Cyril Dion e Mélanie Laurent  abordou a crise planetária que estamos vivendo de uma ótica otimista e focada em soluções. O filme traz a visão da ecofilosofa Joanna Mancy que acredita que A GRANDE VIRADA já está acontecendo,  foi rodado em dez países e traz pelo menos cinco temáticas –  as quais queremos debater uma a uma por aqui – cruciais para o nosso desenvolvimento e despertar de consciência.  Apesar de ter foco em países europeus, em cento e dezenove minutos de duração mergulhamos em uma onda de ações concretas por parte de pessoas e organizações que estão ressignificando a economia, transformando a educação, modificando a democracia, apostando em agricultura sustentável e investindo em novas fontes de energia.  É um chamado para a nossa consciência e uma forma de nos inspirar. Não é novidade para ninguém que entre as pautas das agendas políticas e ambientais pelo mundo, o tema recursos naturais do planeta é temática recorrente e de máxima urgência. Isso se deve ao fato de que precisamos enxergar que se não agirmos no hoje, diminuindo a poluição ambiental e esgotamento dos recursos naturais, em menos de vinte anos pode ocorrer uma extinção em massa, no qual 75% das espécies do planeta irão simplesmente desaparecer. O fundador da Transtion Network, Robin Hopinks um dos entrevistados do documentário, faz uma observação extremamente válida para abrimos discussão. Somos tão brilhantes – enquanto seres pensantes – criamos filmes, seriados, diversas ficções científicas em que a raça humana é extinta, cocriamos nosso fracasso mas, por que somos tão ruins para imaginarmos solução e por em prática? Parece loucura olhar por essa ótica, porém a utilização abusiva de recursos como petróleo, carvão, gás natural, minério, alimentos e água já tem reflexos alarmantes no nosso dia a dia e ainda assim em uma grande escala continuamos inertes. A previsão é que se continuarmos com o ritmo que estamos, em 2030 será necessário o equivalente à dois planetas terras para suprir todas as nossas necessidades. Não dá mais para ignorar o assunto e antes que tal previsão se concretize é essencial agir. Por isso obras como essa nos impactam de maneira positiva, trazendo à tona  movimentações, levando cada vez mais informação – e transparência – para nos instigar a seguir o mesmo caminho. Somos nós a chave mestra para a mudança. Com isso em vista,  esse é o primeiro post de uma série que iremos abordar sobre sustentabilidade e suas práticas ativas em prol da preservação do meio sócio ambiental. E claro que não iriamos começar a falar sobre ações sustentáveis sem trazer a indústria da moda em pauta. Atualmente, cada vez mais empresas seguem a tendência com relação a mudanças e consciência. Acontece que nem sempre foi assim, a indústria da moda ainda é uma das maiores com alto riscos ambientais, perdendo apenas para a produção de petróleo, ainda falta bastante para chegarmos em um patamar ideal, se fez necessário fomentar um novo caminho para o setor. O conceito de MODA CIRCULAR, criado em 2014 quando representantes do mundo todo colocavam em pauta a situação climática, é assumir compromissos em prol de uma moda mais sustentável e que incentive uma nova trajetória para a indústria. Ela diz respeito ao ciclo de vida de um produto, do design à comercialização e venda, bem como a fase do usuário e o fim de vida do mesmo. Empresas do setor têxtil e de confecção tem repensado suas ações e isso reflete em diversos setores como a escolha do fornecedor, salários justos e consciência sociocultural. E nesse processo todo, você, consumidor, é quem vai nos deixar cada vez mais nos eixos. Eis que surge a pergunta: por onde começar? Calma! Parece difícil, mas nem tanto. Pensando em linhas práticas apesar de ser trabalhoso é simples tal mudança de hábito.
  • Fique atento às condições de trabalho e mão de obra. – (Já falamos sobre isso nesse post) Por trás daquilo que consome, peças de vestuários, sobretudo as que tem preço final baixo, correm maior risco de serem produzidos por meio de escravidão moderna. Tenha sempre em mente o exercício prático de se questionar a respeito de quem fez a sua roupa e de que forma ela foi feita.
  • Quando for consumir, opte por peças com tempo de vida longo. Mais vale pagar mais caro em uma peça do que barato em várias. Nessas horas pense em cores e cortes mais clássicos que são atemporais e se enquadram em diversos looks.
  • Pesquise sobre a marca e se ela tem práticas sustentáveis. Use a internet ao seu favor, não hesite em perguntar e cobrar práticas sustentáveis. Pesquisas apontam que o consumo da indústria têxtil chegou a aproximadamente 73 milhões de toneladas e isso tende a crescer 4% a cada ano até 2025, entretanto somente 20% dos resíduos são reciclados por ano. Ou seja, uma quantidade muito baixa para a alta produção.  (Nossa produção tem resíduo têxtil zero, clica aqui para saber mais.)
  • Compre de quem faz: Você sabia que mais do que uma simples hashtag, o Compre de Quem Faz é um movimento que tem como objetivo refletir sobre o consumo excessivo, promover a economia criativa e aumentar a consciências sobre sustentabilidade? Pois é. As pessoas no geral estão acostumadas a comprar de grandes produtores sem refletir o impacto que essas mercadorias podem ocasionar no seu dia a dia. Mas lembre-se, quanto mais as pessoas incentivarem o comércio mais reduzimos impactos, além de fazer a economia girar e aumentar o desenvolvimento social de classes mais baixas que a nossa. Você sabia que consumir localmente (não vale grandes corporações, é o mercadinho da esquina ou a amiga que faz joias), seu dinheiro vale de 2,4 a 4x mais? Consumir localmente foi uma das soluções para diminuir a última crise da Grécia. Fazer o dinheiro girar naquele meio local. O capítulo economia do DOCUMENTÁRIO AMANHÃ mostra essas e outras soluções para nosso dinheiro valer mais.
Há vários motivos para a gente se atentar aos métodos de produção, hábitos de consumo e práticas sustentáveis. Esse é só começo. Vale ressaltar que a Uhnika faz parte desse barco e pretende cada vez mais garantir meios de produções mais dignos. Amanhã – Um Novo Mundo em Marcha está disponível no VIMEO  para quem tiver interesse em assistir. Fique ligado no nosso conteúdo e continue nos acompanhando nessa trajetória. Nos vemos em breve, Marina Ferraz

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: